All posts by Jesus Galvão

15 coisas que você não sabia sobre as pirâmides do Egito

Construídas há milênios, as pirâmides egípcias ainda continuam a nos impressionar devido as suas grandes estruturas e aos mistérios que envolvem as suas construções. Entretanto, sabemos que sua maior finalidade era abrigar os restos mortais de faraós e antigos reis egípcios.

Ainda há muito o que descobrirmos sobre a cultura e os costumes da civilização do antigo Egito, incluindo nosso conhecimento sobre essas estruturas que têm resistido ao tempo por tantas eras. Hoje, trouxemos alguns fatos que vocês provavelmente não sabiam sobre as pirâmides egípcias e suas misteriosas criações. Confira!

Os mistérios e curiosidades

1 – Apesar de comumente associarmos as pirâmides aos hieroglifos, não há nenhum hieroglifo ou inscrições dentro da Grande Pirâmide de Gizé.

2 – Diferente do que muitas pessoas acreditam, as pirâmides podem ter sido construídas por trabalhadores que eram pagos regularmente, ao invés do serviço ter sido executado por escravos e prisioneiros.

3 – Muitas pessoas se perguntam como as pirâmides se mantiveram tão bem preservadas por todos esses anos. Acredita-se que seja devido à argamassa única utilizada. Porém, não se sabe exatamente do que ela é feita.

4 – Cada pirâmide, em média, levaria cerca de 200 anos para ser construída. Dessa forma, é possível que muitas foram construídas simultaneamente.

5 – A Pirâmide de Quéosp foi construída para se alinhar a direção do norte. Ela é, na verdade, o alinhamento mais preciso na direção norte do que qualquer outra estrutura no mundo.

6 – O peso da pirâmide de Quéosp é estimado em cerca de 6 milhões de toneladas.

7 – Algumas pirâmides foram cobertas com pedras de revestimento feito de calcário branco, altamente polidas. As pedras refletiam a luz do sol, de forma que as pirâmides brilhavam como pedras preciosas.

8 – Dentro das pirâmides, apesar do calor do clima desértico do lado de fora, a temperatura permanece relativamente constante, cerca de 20ºC.

9 – Estima-se que a Grande Pirâmide de Gizé foi construída com 2.300.000 blocos de pedra, pesando cada um entre 2 e 30 toneladas. Alguns deles podiam chegar a 50 toneladas.

10 – Os especialistas ainda não sabem ao certo como os blocos de pedras, usados nas construções das pirâmides,  foram trasportados e colocados em seus respectivos lugares.

11 – As técnicas de suas construções ao longo do tempo foram se desenvolvendo. As pirâmides mais antigas possuem um outro padrão.

12 – No século XII, o governante Al-Aziz tentou demolir as pirâmides de Gizé. No entanto, ele acabou desistindo da missão porque seria muito trabalhoso. Porém, a Pirâmide de Menkaure ainda possui marcas do atentado em sua face norte.

13 –  As pirâmides de Gizé são alinhadas com a constelação de Órion. As estrelas de Órion foram associadas com o deus do renascimento e da vida, Osíris, pelos antigos egípcios. Por isso, acredita-se que o posicionamento das pirâmides tenha sido proposital.

14 – Apesar de muitas divergências, acredita-se que o número de pessoas envolvidas na construção das pirâmides gire em torno de 100 mil.

15 – As pirâmides de Gizé são protegidas pela Grande Esfinge, a maior estátua monolítica do mundo. O rosto da esfinge, supostamente, representa a face do faraó Khafra.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria 15 coisas que você não sabia sobre as pirâmides do Egito foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Como é a Umbanda?

O Brasil é um país plural em todas as suas esferas. E não seria diferente quanto a religião. Variadas são as nossas maneiras de expressar a fé e religiosidade. Muitos conflitos mundo afora acontecem por diversas razões e entre elas a intolerância religiosa. No Brasil, apesar de tudo, o preconceito ainda faz muitas vítimas e a intolerância de cunho religioso, atrelada à violência, tem se mostrado cada vez maior.

Pensando nisso, decidimos criar uma série de matérias explorando o tema e trazendo para vocês informações como a origem, a filosofia e os ensinamentos de algumas das principais religiões praticadas em nosso país, de modo que nossos leitores possam aprender um pouco mais de nossa cultura que é tão rica e cheia de cor. Hoje, abordaremos um pouco sobre a Umbanda, e você conhecer um pouco mais de sua história logo abaixo.

Lembrando, caros leitores, que o nosso conteúdo é mais genérico, sem se aprofundar muito no tema para não causar polêmicas. O objetivo dessa série de matérias é combater o preconceito contra as religiões e disseminar informações sobre as mesmas.

Origem

A Umbanda nasceu no dia 15 de novembro de 1908, quando foi anunciada por um espírito (ou guia espiritual / entidade, como são chamados na religião) chamado Caboclo das Sete Encruzilhas, através das faculdades mediúnicas do médium Zélio Fernandino de Moraes, na sede da Federação Espírita de Niterói, no Rio de Janeiro.

Zélio de Moraes, como é mais conhecido, foi levado ao local por seu tio depois que o jovem de apenas 17 anos foi acometido por uma paralisia misteriosa e milagrosamente curado. O médium, que já apresentava sinais para sua família de sua capacidade de se comunicar com espíritos, fenômeno conhecido como mediunidade, foi convidado pelo dirigente a se juntar a sessão que estava ocorrendo.

Depois que se iniciou a sessão espiritual, Zélio se levantou e disse: “Aqui está faltando uma flor!”. Zélio estão foi até o jardim e apanhou uma rosa branca e colocou sobre a mesa. As pessoas ali reunidas estranharam a atitude do rapaz. Manifestações de espíritos de índios e escravos começaram a ocorrer e o dirigente então os convidou a se retirarem, advertindo que tais espíritos devido a seu “atraso espiritual” não eram de certa forma bem-vindos ali.

Enquanto tentava afastar o espírito que naquele momento fazia o uso das faculdades mediúnicas de Zélio para se comunicar, uma pessoa questionou a entidade ali incorporada ao médium. “Afinal, por que o irmão fala nesses termos, pretendendo que esta mesa aceite a manifestação de espíritos que, pelo grau de cultura que tiveram quando encarnados, são claramente atrasados? E qual é o seu nome, irmão?”.

Na resposta que o tal homem recebeu, nascia então uma religião puramente brasileira que tem sido cultuada por mais de um século: “(…) se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhã estarei na casa deste aparelho (Zélio), para dar início a um culto em que estes pretos e índios poderão dar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos encarnados e desencarnados. E se querem saber meu nome, que seja Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim”.

Filosofia

A Umbanda é a manifestação do espírito para a prática do amor e da caridade. Sem preconceitos de gênero, cor, idade. Livre de dogmas, a religião não possui nenhum livro sagrado e é considerada uma religião cristã. A Umbanda é uma religião que busca a evolução de nossas almas, através do amor, da fraternidade, da fé e do conhecimento.

Para os umbandistas, existe somente um deus e que pode ser chamado de Zambi, Olorum, Olodumaré ou simplesmente Deus. O nome Umbanda vem da palavra m’Banda, que em kimbundo, língua africana, significa “sacerdote” ou “curandeiro”. A Umbanda é a reunião de todas as tribos (bandas), de todos os irmãos, que um dia, em comunhão, serão uma única banda.

Ensinamentos

Os terreiros de Umbanda, espalhados por todo o Brasil, possuem várias linhas de trabalhos, mudando de acordo com certas regiões e a ancestralidade dos pais e mães (dirigentes) da casa. Em sua formação, a Umbanda sofreu influência e sincretismos de elementos de outras religiões como o candomblé, religião de matriz africana, o catolicismo e do espiritismo de Allan Kardec. Formando e desenvolvendo assim a base de seu próprio culto.

As reuniões, ou giras, geralmente ocorrem nos terreiros ou congás. A Umbanda não aceita que os atendimentos realizados em seus terreiros sejam cobrados ou que sejam feitos como motivo de troca de favores entre as pessoas ou guias/entidades devido ao auxílio prestado aos consulentes que buscam na religião a cura de suas mazelas. “Dê de graça, o que de graça recebestes: com amor, humildade, caridade e fé”.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Como é a Umbanda? foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

7 razões para acreditar que estamos entrando na era mais sombria da tecnologia

Hoje em dia para nos comunicarmos com alguém que esteja lá do outro lado do mundo precisamos apenas sacarmos nosso smartphones do bolso e enviar uma simples mensagem. Estamos tão acostumados a vida moderna que muitas vezes não nos damos conta da grandiosidade de tal feito. O quanto de evolução, de conhecimento humano – mais até do que as máquinas, o recebimento dessa mensagem representa. Afinal, somos nós os criadores de tudo, tecnologicamente falando, que está ao nosso redor.

O campo da exploração tecnológica parece não ter mais fim, com a mais nova pedra preciosa sendo o mundo ainda pouco conhecido da nanotecnologia. Entretanto, um pouco diferente da vontade humana de evoluir, são os recursos necessários para tal evolução. Metais importantíssimos estão desaparecendo para criarmos smartphones para enviarmos mensagens para nossos amigos do outro lado do mundo. Pensando nisso, hoje trouxemos para vocês, algumas razões pelas quais podemos acreditar que já entramos na era mais obscura e sombria da tecnologia. Confira!

1 – Smartphones estão nos fazendo ficar sem metais importantes

Nosso relacionamento com os smartphones veio se consolidando desde o início dos anos 2000, quando eles surgiram. Hoje em dia é difícil imaginarmos nossa vida sem tais aparelhos. Entretanto, a fabricação deles tem se tornado algo bem perigoso ao meio ambiente. Isso porque dentre seus componentes estão metais como cromo, tungstênio, molibdênio, gálio, selênio, dentre outros.

Segundo Thomas Graedel, professor da Universidade de Yale, estamos ficando sem esses materiais usados na produção de nossos atuais melhores amigos. A única solução para tal problema seria a reciclagem. Porém, a forma com que esses produtos são fabricados torna a lógica da reciclagem quase impossível de ser executada.

2 – A complexidade está aumentando

É quase unânime a sensação de que a tecnologia avançou muito em um espaço de tempo impressionantemente curto. A internet se espalhou por todo o globo, smartphones estão em nossos bolsos e carros autônomos estão ganhando espaço nas ruas. E este é basicamente um caminho sem volta.

Tecnologias complexas requerem tecnologias ainda mais avançadas para produzi-las. E se partirmos para o campo da nanotecnologia, as coisas ficam ainda mais “graves”. Como aquelas famosas bonecas russas que se amontoam em camadas. Dessa forma, podemos chegar em um ponto onde nos tornaremos reféns de nosso próprio desenvolvimento.

3 – A autonomia está diminuindo

O campo onde as pessoas podiam se especializar em uma profissão autônoma, como relojoeiros, ferreiros, alfaiates, padeiros, entre outros, está diminuindo. Atualmente, estamos nos tornando engenheiros, projetistas e somos apenas parte de um grande quebra-cabeças, onde não temos autonomia ou recursos para fazermos algo por conta própria.

E esta é a razão pela qual não vemos mais uma única pessoa creditada na invenção das tecnologias modernas. Normalmente, muitas pessoas estão envolvidas em tais projetos, onde a maioria só compreende e/ou é responsável por uma parte do todo.

4 – As artes perdidas

Assim como nossa autonomia, estamos perdendo pouco a pouco o domínio, e até mesmo o conhecimento, sobre as atividades analógicas. Por exemplo, a arte de fabricar e reparar relógios analógicos. Além de alguns segundos a menos na hora de vermos as horas, os relógios digitais não acrescentam algo substancial à nossa existência. E ainda contribuem de certa forma para nossa dependência de produtos eletrônicos.

Numa realidade hipotética, onde calamidades nos colocassem sob uma forte crise de recursos, o conhecimento da produção de produtos analógicos seria de suma importância. Pode não parecer grande coisa agora, que estamos tão acostumados com a vida moderna, mas a centenária arte de ajustar o tempo através da criação de tais relógios, fez o mundo se mover e expandir, o que não teria sido possível caso tal habilidade não existisse.

5 – A insegurança do armazenamento de dados

Recentemente, o Museu Nacional no Rio de Janeiro pegou fogo, destruindo grande parte de seu acervo de 20 milhões de itens. Uma perda irreparável para nossa história. Mas, já pararam para pensar que todo o nosso conhecimento atualmente é armazenado em algum tipo de formato digital? Por sua própria natureza, sua degradação a medida que o tempo passa, nos coloca em um local onde não poderemos acessar tais informações no futuro.

Se por acaso algo acontecesse e ficássemos sem condição de produzirmos outros computadores, por exemplo, como poderíamos acessar essas informações na nuvem, em flash, servidores, entre outros, que agora detêm grande parte do conhecimento? E quanto mais pensamos em tais possibilidades, a situação aparentemente fica ainda mais drástica.

6 – Redescobrir tecnologias primitivas

As mudanças climáticas continuam a ameaçar nossos recursos em todo o mundo. Talvez devamos diminuir a produção de smartphones e voltarmos um pouquinho no tempo. Redescobrindo tecnologias do passado, como o telégrafo, algo quase incompreendido para muitas pessoas hoje em dia. O rádio voltaria a ser importante e poderíamos usar nossos telefones para nos comunicarmos com aqueles que estão longe ou em situações de emergência.

7 – As pessoas se preocuparão mais com os recursos

O mundo está mudando e da mesma forma nossos recursos. No futuro, devido a falta de suprimentos, pode acontecer das pessoas começarem a se preocupar menos com telas mais brilhantes e começarem a focar mais sobre como será sua próxima refeição, uma vez que a probabilidade dela acontecer pode se tornar algo incerto. Ou se o clima e a economia permanecerão estáveis. Mesmo que continuemos a nos expandir, provavelmente, nosso foco seria direcionado para outras direções.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria 7 razões para acreditar que estamos entrando na era mais sombria da tecnologia foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

15 fatos fascinantes sobre a Escócia

A Escócia é um dos países que compõe o Reino Unido. O país está localizado na parte norte da Grã-Bretanha e possui cerca de 5,2 milhões de habitantes. A Escócia é um dos países mais bonitos da Europa. Além de suas riquezas culturais, que fazem do país o destino certo de milhares de turistas todos os anos.

Da gaita de foles ao icônico kilt, as nuances escocesas vão te fazer se apaixonar pelo país a medida que você passar a conhecer um pouco mais de sua história. Pensando nisso, hoje trouxemos para vocês alguns fatos sobre a Escócia e que vão te fazer querer pegar o primeiro voo para lá. Confira!

Fatos fascinantes sobre a Escócia

1 – Na Escócia, está localizada o Knap of Howar, na ilha de Papa Westray, em Orkney, a mais antiga casa de pedra preservada no norte da Europa. Datações em carbono comprovaram que ela foi ocupada de 3700 a.C. a 2800 a.C.

2 – O  Bank of Scotland é um dos três mais antigos da Grã-Bretanha. Ele foi criado em 1695.

3 – Em 1824, um grande incêndio acometeu a capital da Escócia, Edimburgo, destruindo muitos prédios e casas. Curiosamente naquele ano, à cidade foi creditado o mérito de ter a primeira brigada de incêndio do mundo.

4 – A Escócia era um país independente até o século XV, quando a Grã-Bretanha foi formada depois que o rei do país recebeu o trono da Inglaterra, em 1603.

5 – O Teviot Row House é o prédio sindicalista mais antigo do mundo. Ele está localizado dentro da Universidade de Edimburgo.

6 – Além do famoso uísque scotch, a Escócia é também a terra onde o golfe emergiu. O Open Championshiop, campeonato de gol mais antigo do mundo, teve sua primeira partida realizada em 1860, no Prestwick Golf Club.

7 – Sherlock Homes é fruto da mente do escritor escocês Arthur Conan Doyle.

8 – William Wallace é o herói histórico mais poderoso da Escócia, por ter se rebelado contra o rei Eduardo I da Inglaterra.

9 – O Festival Internacional de Edimburgo recebe cerca de 300 mil pessoas anualmente e é um dos maiores do mundo.

10 – Existem cerca de 300 castelos na Escócia. Devido ao seu tamanho, isso contabiliza cerca de quase 1 castelo para cada 259 quilômetros quadrados.

11 – A Escócia possui tantos castelos assim devido ao seu sistema baseado em clãs. Desde que o país se estabeleceu, diversos clãs foram surgindo ao longo de sua história.

12 – Cerca de 40% dos escoceses possuem o cabelo ruivo. Alguns cientistas acreditam que isso seja devido à falta de sol.

13 – Glasgow já foi considerada a capital da música do mundo. A cidade abriga o Britannia Panopticon, a casa de shows mais antiga no mundo. Ela foi aberta em 1857.

14 – O símbolo do país é um unicórnio. O folclore escocês é recheado de histórias, contos e lendas de criaturas místicas, como fadas, elfos, goblins e gigantes.

15 – A flor do Cardo é o símbolo nacional da Escócia.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria 15 fatos fascinantes sobre a Escócia foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Praia na Austrália foi engolida pelo mar

Um grande buraco apareceu do dia para a noite em uma praia em Queensland, na Austrália, e isso chocou os moradores locais e os turistas. A cratéra de cerca de 7 metros de profundidade e quase 300 metros de largura foi causada pelas marés e as autoridades locais temem que outra apareça.

Tudo ocorreu na noite do dia 23 de setembro e deixou muitas pessoas atordoadas, sem conseguirem compreender o que estava ocorrendo na praia. A cratera se abriu na praia Rainbow beach, em Iskip Point e já é a terceira que aparece no local em três anos.

A cratera

Esses buracos na areia da praia geralmente ocorrem quando as chuvas penetram no solo, fazendo com que sua instabilidade aumente e consequentemente cedam com o passar do tempo. O fluxo das marés do oceano foi o responsável direto para este incidente em especifico em Queensland.

Engenheiros geotécnicos e outros profissionais estão monitorando e avaliando a situação na região. Até o momento ninguém se feriu. Segundo Diana Journeaux, da Rainbow Beach Helicopters, ela não teria visto a grande erosão que fez com que um grande pedaço da praia desaparecesse quando sobrevoou a região em um helicóptero naquela manhã. O que acabou indicando que o incidente aconteceu de forma repentina.

Os cuidados

Aos banhistas e moradores locais foi indicado que evitassem circular pela área da erosão, uma vez que a ameaça de um novo incidente é real. “É provável que esta erosão tenha sido causada pelo enfraquecimento de parte da costa pelo fluxo das marés, ondas e correntes. Quando isso ocorre abaixo da linha de água, o litoral perde o apoio e uma seção desliza para o mar, deixando um buraco, cujas bordas voltam para a costa”, declarou o Departamento de Meio Ambiente e Ciência de Queensland.

Aparentemente, a área tem predisposição para este tipo de erosão. Em 2015, algo similar aconteceu há poucos metros do incidente mais recente. Em 2016 outra erosão ocorreu, o que levam as autoridades locais a acreditarem que novas crateras poderão surgir na região.

“Poderíamos ver outra [erosão] em 1 ano, ou poderíamos ver isso acontecer novamente só daqui alguns anos. Tudo o que podemos dizer, com alguma certeza, é que é uma área intrinsecamente instável e que isso ocorrerá periodicamente”, disse Peter Davies, da Universidade da Costa do Sol.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Praia na Austrália foi engolida pelo mar foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Conheça esse lago no fundo do mar que mata qualquer coisa que nade nele

A primeira coisa que vem em nossa mente quando ouvimos a palavra Jacuzzi é uma banheira quente, borbulhante a qual podemos passar um bom tempo relaxando e esquecendo os problemas da vida. Certo? Bom, talvez isso não seja mais a única lembrança para o termo que você terá em sua mente.

Um lago no fundo do mar, com concentração de sal até cinco vezes maior do que água do mar ao redor, repleto de metano e sulfeto de hidrogênio, localizado no Golfo do México,  recebeu um apelido muito carinhoso: “Jacuzzi do Desespero”. Isso porque peixes e outras criaturas que se arriscam a nadar por ali acabam morrendo devido a sua composição química.

A jacuzzi do Desespero

O lago fica a cerca de um dia de barco de Nova Orleans, no Golfo do México. A ‘Jacuzzi do Desespero’ mede cerca de 30 metros de circunferência e cerca de 4 metros de profundidade e fica em torno de mil metros da superfície. Devido a mistura das altas concentrações de sal, metano e sulfeto de hidrogênio, a água é tao densa que não se mistura com o restante e se acumula no fundo.

Peixes e crustáceos não conseguem sobreviver a composição da água e acabam morrendo ao se arriscarem nadar na região. A explicação para o fenômeno acaba vindo por meio da história. Há milhões de anos, o Golfo do México era mais raso do que atualmente.

Conforme a água evaporava, camadas densas de sal eram deixadas para trás e  foram enterradas lentamente sob camadas de sedimentos. À medida que a pressão aumentou, esse sedimento rachava liberando a densa água salgada armazenada abaixo dele, que devido a sua composição não se misturava a água do mar.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Conheça esse lago no fundo do mar que mata qualquer coisa que nade nele foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Saiba o que está escrito no livro mais caro do mundo

O Códex ou Códex Leicester é um manuscrito que reúne textos e desenhos criados por Leonardo DaVinci, entre 1508 e 1510. O documento possui 18 folhas em papel, dobradas ao meio e com inscrições em ambos os lados. Juntas são formadas 72 páginas com 360 ilustrações e desenhos.

O Leicéster Códex é todo escrito em italiano, língua mãe do artista. A obra escrita por DaVinci foi vendida e é considerada o livro mais caro do mundo. O documento apresenta um tipo de escrita muito usado pelo arquiteto, desenhista, engenheiro, cientista, inventor e pintor renascentista, o modo espelhado.

O Códex Leicester

Muitos temas são abordados no Códex Leicester, entre observações e teorias de DaVinci. O tema mais retratado é o movimento da água, e em especial, o fluxo dos rios e seus obstáculos, seguido de uma série de recomendações em caso de construções de pontes e para se evitar erosões.

A existência de fósseis marinhos nas montanhas, que antecipariam as teorias sobre o movimento das placas tectônicas, baseado na antiga crença de que as montanhas foram leitos marinhos e que gradualmente se elevaram e formaram as montanhas como as conhecemos, são explicadas no manuscrito.

Depois que DaVinci, o Códex não ficou sob posse de Francesco Melzi, como outras peças, mas foi parar nas mãos do escultor italiano Della Porta. Até que outro italiano, Giuseppe Ghezzi, o descobriu entre os pertences de Porta depois de sua morte, quase um século depois. Ghezzi então vendeu o exemplar a Thomas Coke, o Conde de Leicester.

O livro mais caro do mundo?

Os familiares de Coke mantiveram o manuscrito na família por mais de dois séculos e meio. Até que em 1980, em um leilão, o empresário estadunidense, Arman Hammer, arrematou o livro. Dessa forma, o Códex Leicester é também designado como Códex Hammer. Em 1994, Bill Gates arrematou o Códex em um leilão por cerca de 30,8 milhões de dólares.

Gates desejava que a obra de DaVinci fosse vista por todos e então transformou suas folhas em protetores de tela no Windows 95. Além de permitir que o documento original pudesse ser exibido em exposições mundo afora. A partir deste mês, uma exposição sobre Leonardo DaVinci, realizada na Galéria Uffizi, em Floresça, na Itália, recebera o exemplar para exibição.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Saiba o que está escrito no livro mais caro do mundo foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Conheça o menino que com 7 anos tem seu próprio banco

José Adolfo Quisocala Condori, um menino peruano de 7 anos de idade, é dono de um banco e já planeja expandir seu empreendimento por todo o país. Quando José surgiu com a ideia que parecia uma grande loucura, muitas pessoas riram do menino, incluindo seus professores e colegas de classe.

Ele chegou a propor a seus professores para criar um banco estudantil, em sua cidade Arequipa. Entretanto, José foi chamado de “louco”, pois um menino não teria condições de empreender tal projeto. O menino disse a jornal local que até mesmo chegou a ser intimidado por outros alunos.

O banco de José

O pequeno José preferiu acreditar em seu potencial e na força de seu projeto e foi à luta. Atualmente, o Bartselana Student Bank possui cerca de dois mil clientes. O banco estudantil começou suas atividades com apenas 20 crianças cadastradas. José deverá se encontrar com executivos de um grande banco peruano para expandir suas atividades para todo país.

A ideia de criar um banco surgiu quando Condori percebeu que seu colegas de classe estavam usando o dinheiro que seus pais lhe davam de forma irracional. Eles ‘torravam’ tudo em doces e brinquedos. Assim, o jovem decidiu que ajudaria seus colegas a economizarem os poucos trocados que ganhavam.

Além de que os “clientes” de seu banco teriam uma outra vantagem: gerar renda através da reciclagem. Resíduos sólidos dos clientes são coletados pelo banco de José e vendidos para uma empresa de reciclagem que os transformam em papel higiênico. O dinheiro da venda dos resíduos vai diretamente para a conta do cliente, que só poderá saca-lo quando atingir uma meta de poupança. Nem mesmo os pais da criança podem retirar o dinheiro.

José recebeu inteiro apoio de alguns representantes de sua escola para levar o projeto adiante. Seu futuro é promissor e suas palavras inspiram e geram confiança naqueles que ouvem o menino discursar. “Não me sinto intimidado em me reunir com executivos de bancos para falar sobre negócios. O tratamento é sempre cordial e, para ser honesto, me sinto mais à vontade com os adultos porque eles entendem os projetos que proponho”, afirmou Condori.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Conheça o menino que com 7 anos tem seu próprio banco foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

O que acontece se você encontrar petróleo no seu quintal?

Todo mundo já teve um devaneio de ter a sorte grande de achar um poço do petróleo no quintal de casa e se tornar um milionário da noite para o dia. Apesar dessa ideia estar enraizada no imaginário popular por muitas décadas, caso uma pessoa encontrasse petróleo jorrando de um poço no fundo de sua casa, as coisas não ocorreriam bem como a maioria de nós imaginamos.

A legislação brasileira discursa de que todo o petróleo encontrado no subsolo brasileiro pertence ao governo federal. O que não significa que a pessoa que fez a descoberta do valioso combustível ficaria de mãos abanando. O dono do terreno provavelmente receberá uma porcentagem devido a exploração da jazida em sua propriedade. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), os ganhos podem variar entre 0,5 % a 1 %.

A jazida e a exploração

Uma vez encontrada a jazida, o proprietário deve levar uma amostra do que foi encontrado à ANP. Se confirmado a presença de petróleo, a ANP enviara uma comissão técnica para avaliar a viabilidade da exploração na região. Se aprovada, então se daria início a etapa de trâmites para regulamentar a ação, como uma licitação para escolher a empresa que faria a extração do combustível fóssil.

Apesar dos ganhos do dono da propriedade não parecerem tão significativos, se você parar para pensar que um poço de petróleo, produzindo cerca de mil barris por dia, com o valor do barril valendo cerca de 75 dólares, ou R$ 292,31, em conversão realizada no momento em que esta matéria estava sendo escrita, o dono da propriedade poderia ter ganhos mensais de cerca de 43 mil reais. Não é tão pouco assim, né?

O sonho da jazida própria

Em 2013, uma família em Salvador, na Bahia, durante uma obra de terraplanagem em sua residência, acabou encontrando um poço de petróleo no fundo do quintal. O bairro Lobato, onde a casa do casal está localizada, foi o primeiro local no Brasil onde o combustível foi explorado no fim da década de 1930. A exploração no bairro durou até a década de 1970, quando a Petrobras considerou os reservatórios existentes esgotados.

Porém, para a família baiana as coisas não saíram tão bem quanto eles esperavam. Isso porque a região onde eles encontraram o poço se desenvolveu como área urbana e já não havia, ao menos por parte da ANP, expectativas para exploração comercial no local.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria O que acontece se você encontrar petróleo no seu quintal? foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

7 coisas que você guarda no banheiro, mas não deveria

O banheiro, depois da cozinha, é provavelmente o local mais frequentado em uma casa. Por isso, não é estranho pensar que a maioria das coisas que usamos em nosso dia a dia sejam armazenadas neste local. Afinal de contas, sempre tem aquele dia que acordamos atrasados e tudo parece estar dando errado e se seu perfume, maquiagem e acessórios estão a uma mão de distância de você, as coisas parecem ficar mais fáceis.

Porém, a praticidade e a conveniência de armazenarmos esses produtos no banheiro podem ser confrontadas por questões ligadas a saúde, por exemplo. Certos objetos ou produtos se guardados em locais expostos a constante umidade e altas temperaturas podem representar uma verdadeira ameaça a nossa saúde. Hoje, listamos para vocês alguns objetos e itens que não devem ser guardados no banheiro e que você provavelmente não tinha conhecimento. Confira!

1 – Toalhas

É muito conveniente termos uma toalha sempre à mão na hora do banho. Porém, depois de se secar é importante colocar a toalha para secar em um outro ambiente que não seja o banheiro. Afinal, um ambiente quente e úmido é o ideal para o desenvolvimento de certos tipos de bactérias. Até mesmo as toalhas limpas não devem ficar empilhadas sobre uma prateleira ou uma cesta no banheiro. O ideal é encontrar um cantinho no armário para elas.

2 – Roupas de cama

Os contantes níveis de umidade elevada do banheiro não são compatíveis com os tecidos dos lençóis e fronhas limpos, por exemplo, que devem ser armazenados em locais secos. Dessa forma, evitamos cheiros desagradáveis e o desenvolvimento de mofo nos tecidos.

3 – Maquiagens

Geralmente, fabricante de maquiagens e alguns tipos de cosméticos recomendam o armazenamento desses produtos em locais secos e arejados. Especialmente quando se trata de sombras, pós barba em geral e blushes. Devido a alta umidade, esses produtos podem acabar reduzindo sua validade ou perdendo suas propriedades, o que acaba os tornando impróprios para o uso.

4 – Perfumes

Muitos de nós organizamos nosso banheiro de modo que facilite nossas ações, como escovar os dentes, passar o fio dental ou passar o perfume na hora de ir para o trabalho. No entanto, isso pode estar arruinando seu perfume. Isso porque a oxidação de produtos perfumados é acelerada.

Dessa forma, esses produtos sob altas temperaturas podem evaporar ou mudar suas fragrâncias significativamente. O ideal é armazenar esses produtos no quarto.

5 – Pincéis de maquiagem

Restos de maquiagem, bactérias e sujeiras vão se acumulando nas cerdas dos pincéis e usá-los depois disso pode ser bem prejudicial à saúde de sua pele. Irritações e erupções podem surgir. Caso você não possa limpar os pincéis logo após seu uso, é preferível que você os armazene em local seco para evitar a proliferação e o desenvolvimento de bactérias.

6 – Joias

Muitas pessoas têm por hábito retirar acessórios como pulseiras, colares e brincos e deixá-los sobre a bancada antes do banho. Algumas vezes, acabam os deixando por lá. Entretanto, para esses objetos, um ambiente úmido pode ser altamente destrutivo. O metal pode mudar de cor e manchar. Se a peça for feita de prata, uma limpeza pode ser que resolva o problema. Mas há alguns materiais que não podem ser restaurados.

7 – Escova de dentes

Um estudo revelou que armazenar sua escova de dentes em um banheiro com vaso sanitário pode ser perigoso à saúde. Bactérias que são jogadas no ambiente quando alguém dá descarga com a tampa do vaso aberta podem impregnar em sua escova de dentes. Caso não haja outro local para armazenar o objeto, o ideal é colocar sua escova dentro de um estojo ou uma capa protetora de cerdas.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria 7 coisas que você guarda no banheiro, mas não deveria foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

1 2 3 14