7 pessoas que estavam certas, mas que foram completamente ignoradas

Se olharmos a história do mundo, passaram pela Terra várias pessoas que ganharam destaque pelas coisas que descobriram. Hoje, eles são considerados referências no campo em que atuaram, ou às vezes, gênios pelas denúncias ou descobertas que fizeram. Talvez, o maior exemplo seja Leonardo Da Vinci. O homem foi um cientista, matemático, anatomista, engenheiro, pintor, escultor, arquiteto, inventor e, acredite, muitas outras coisas. Se revivesse nos dias de hoje, qualquer coisa que dissesse seria totalmente respeitada.

O que falamos muito pouco, é sobre pessoas que são totalmente o contrário desse conceito. Muitas boas ideias e até denúncias não foram ouvidas em uma época. Na maioria das vezes, é porque aqueles novos conceitos vão contra todas as noções estabelecidas da época. Muita gente tentou falar para o mundo sobre algo importante, e acabaram sendo ignorados e algumas vezes até calados pela sociedade. Alguns não viveram o suficiente para verem os seus pontos de vista validados. Na tentativa de fazer um pouco de justiça, listamos 7 pessoas que estavam certas, mas foram completamente ignorados.

1 – Sinéad O’Connor

A música War, do Bob Marley, fala sobre racismo. Em 1992, a cantora irlandesa Sinéad O’Connor fez uma participação especial no programa de humor Saturday Night Live, aonde cantou War, porém, modificando a letra para falar sobre abuso sexual. Ao final da performance, ela rasgou uma foto do Papa João Paulo II no palco e gritou: “lute contra o inimigo real”. Na época, ela ouviu vaias e muitas críticas ao seu comportamento. Como podia alguém cometer tamanha heresia a igreja católica? Hoje em dia, escândalos dentro da igreja católica tornaram-se comuns.

No início dos anos 1990, quando isso aconteceu, tais críticas estavam fora da consciência e do debate público. Hoje, são inúmeros os casos de abuso dentro da igreja, e o debate já está sendo realizado há alguns anos.

2 – William Coley

William Coley hoje é conhecido como o pai da imunoterapia. Mas pensa comigo: como convencer as pessoas do final do século 19 de que infectar pacientes com doenças propositadamente pode ser um tratamento viável para o câncer. Na época, a única saída para um câncer era a cirurgia para retirada do tumor. Willian percebeu uma segunda via, quando passou a notar que uma pessoa com câncer, ao adquirir outra doença potencialmente fatal, tinha uma diminuição considerável do tumor. Willian passou décadas tentando provar o seu ponto de vista, sem muito sucesso.

Foi só em 1935 que ele conseguiu ser ouvido e respeitado. Infelizmente, ele morreu menos de um ano depois do reconhecimento.

3 – Ernest Hemingway

Ernest Hemingway não passou bem os seus últimos anos de vida. Ele estava doente e com uma severa depressão. Quando ele afirmou que estava sendo seguido pelo FBI, ninguém acreditou. Duas décadas depois após o escritor cometer suicídio, todos descobriram que o FBI realmente estava o monitorando. Ele estava sendo vigiado devido a uma viagem feita para Cuba. Ele não viveu para ver a cara das pessoas ao descobrirem que ele estava realmente certo.

4 –  Johnny Rotten

John Lydon, ou Johnny Rotten como é conhecido, é o vocalista do Sex Pistols. Na década de 1970, ele deu uma entrevista para a BBC na qual disse: “mate Jimmy Savile”. Jimmy, por sua vez, tinha uma carreira longa e próspera na emissora. Ninguém entendeu o que o vocalista quis dizer exatamente naquele momento. Só após a morte de Jimmy, em 2011, é que as verdades sobre ele começaram a vir a público. Ele foi um dos criminosos sexuais mais prolíficos da Grã-Bretanha no século 20. Isso é praticamente o que o vocalista falou, quase 35 anos antes.

5 – Greg LeMond

O ciclista Greg LeMond nunca viu o atleta Lance Armstrong com bons olhos, nem na época em que o mesmo estava no auge de sua carreira. LeMond criticou Armstrong por sua associação com Michele Ferrari, um médico italiano que praticava doping sanguíneo, em 2001. Após isso, ele passou a sofrer ameaças e represálias devido a sua denúncia. Ele também recebeu uma série de ações judiciais que transformaram os 12 anos seguintes da vida dele (como ele mesmo descreve) num inferno na Terra. Ele se tornou persona non grata entre os ciclistas. A vida de LeMond só voltou aos trilhos depois que Armstrong foi exposto e despojado de seus títulos.

6 – Clair Cameron Patterson

Clair Cameron Patterson era um geoquímico norte americano que desenvolveu a datação radiométrica para poder calcular a idade da Terra com precisão. No meio desse estudo, na década de 1940, ele notou que o homem estava se contaminando e contaminando o meio ambiente com chumbo. Na época, as pessoas estavam fazendo isso particularmente com aditivo de gasolina. Ele recebeu muita resistência e oposição, diante da denúncia declarada. Ele só conseguiu provar estar certo e ser reconhecido já na década de 1970.

7 – Dusan “Dusko” Popov

Dusan “Dusko” Popov era um agente duplo durante a Segunda Guerra Mundial. Ele é uma das inspirações para o ícone dos cinemas, James Bond. Seu comportamento beberrão e mulherengo levou o FBI a desconfiar de Popov, quando ele tentou avisá-los sobre Pearl Harbor. Ele disse ao FBI que estavam planejando um ataque em até um ano em Pearl Harbor. A informação do espião nunca chegou à Casa Branca ou aos militares dos EUA. Alguns acreditam que isso aconteceu porque o chefe do FBI, J. Edgar Hoover, não gostava e desconfiava dele.

E ai, o que você achou dessa lista? Esse pessoal foi realmente injustiçado? Conhece outros que passaram pelo mesmo problema? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais. E para você que explode de raiva quando não acreditam em você, aquele abraço.

Essa matéria 7 pessoas que estavam certas, mas que foram completamente ignoradas foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.