Monthly Archives: December 2017

Conheça Socotra, a ilha árabe que parece um mundo alienígena

Conheça Socotra, a ilha árabe que parece um mundo alienígena

Saiba mais sobre a Socotra, uma ilha árabe curiosa, cuja paisagem interessante e extraordinária ganhou o apelido do lugar mais estranho da Terra. A ilha de Socotra, ao largo da costa do Iêmen, foi chamada de lugar mais exótico da Terra. É realmente diferente de qualquer lugar existente na Terra devido à sua paisagem única, fauna e flora que só é encontrada no local. O arquipélago de Socotra está localizado no noroeste do Oceano Índico, perto do Golfo de Aden. Com 50 km de extensão, o local é composto por quatro ilhas e dois ilhéus rochosos como uma extensão similar ao Chifre da África. A sua biodiversidade de flora e fauna chama atenção: 37% das 825 espécies de plantas de Socotra, 90% espécies de répteis e 95% de suas espécies de caracóis terrestres não são vistas em nenhum outro lugar no mundo. A paisagem da remota ilha de Socotra, que se parece com um filme de ficção científica, foi separada do continente africano entre seis e sete milhões de anos atrás. Localizado a cerca de 250 km da Somália e 340 km do Iêmen, o ambiente da ilha inclui praias de areia branca, cavernas e montanhas imponentes, cercadas por um clima quente e úmido. Socotra tem um deserto tropical e clima semi-deserto com uma temperatura média de 25° C e quase nunca chove. Além disso, é um dos lugares mais remotos da terra de origem continental e já foi parte do supercontinente de Gondwana, do qual se separou durante o Mioceno. Confira algumas fotos de Socotra:

Katsaridafobia

Katsaridafobia

As baratas habitam normalmente lugares mais escuros e quentes, preferencialmente onde haja abundância de alimentos. Durante a noite ou quando há ausência de luzes, saem de seus esconderijos passando a procurar por alimentos. Chamamos de Katsaridafobia o medo excessivo de baratas. Não se trata apenas de um desconforto, mas de algo mais intenso. O medo de baratas pode ser uma resposta evolutiva, uma vez que nossos ancestrais da pré-história dormiam em cavernas e campos abertos, e nestas situações ficavam sempre alertas, mesmo em sono, aos insetos que andavam por seus corpos. É bastante possível que o paciente com katsaridafobia tenha tido uma ou mais experiências negativas ou bastante traumáticas com baratas no passado. Crianças, por exemplo, que recebiam castigos ficando presas em um local sem iluminação que poderiam ter a presença deste inseto, podem acabar desenvolvendo quadros bastante sérios de katsaridafobia. Muitas pessoas acabam sentindo-se extremamente desconfortáveis na presença de insetos, sendo a barata uma das que mais incomodam, sendo, portanto, a katsaridafobia mais comum do que imaginamos. Os sintomas envolvem a paralisia ou congelamento das reações na presença do inseto, ou ainda reações como choro e gritos, tontura e fraqueza, desmaios, aceleração dos batimentos cardíacos, aceleração da respiração, dores no peito e até mesmo ataques de pânico. Apesar de ser um método bastante difícil e um pouco cruel, a terapia de exposição é uma das técnicas mais eficientes para acabar com o medo de insetos, como a barata, por exemplo. Trata-se de uma dessensibilização gradual, incluindo observar imagens de baratas, tocar baratas mortas, até chegar à presença delas, estando no mesmo ambiente sem que sofra ataques de pânico ou reações físicas significativas. Outra técnica bastante usada para o tratamento do medo de insetos, é a hipnoterapia, que se aprofunda, a partir da hipnose, na origem do medo, conseguindo alterar gradualmente os pensamentos sobre as baratas. Por fim, temos a terapia cognitivo comportamental acompanhada da psicoterapia, que faz com que se racionalize ao invés de perder o controle, amenizando o medo do inseto. Confira também: 20 curiosidades impressionantes sobre baratas Não se deve, em hipótese alguma, menosprezar medos como estes, mas sim buscar ajuda de um terapeuta e de profissionais que possam ajudar no tratamento efetivo, tornando a vida muito mais simples.

Dormir mais de nove horas aumenta o risco de sofrer de demência

Dormir mais de nove horas aumenta o risco de sofrer de demência

De acordo com um novo estudo realizado no Reino Unido, dormir mais de nove horas por noite aumenta o risco de demência. A pesquisa publicada na revista Neurology descobriu que as pessoas mais velhas que gostam de dormir por longas horas são mais propensas a desenvolver a doença de Alzheimer ao longo de uma década. Além disso, os especialistas também descobriram que aqueles que dormem mais têm cérebros menores. Para adultos que não conseguiram terminar seus estudos em sua infância, o risco de desenvolver demência é seis vezes maior se dormissem mais de nove horas por dia. Nesse sentido, em suas conclusões, os cientistas afirmam que a educação pode proteger o cérebro contra a demência. Os especialistas afirmam ainda que dormir mais do que o necessário é um sinal inicial da condição. O pesquisador Sudha Seshadri, da Faculdade de Medicina da Universidade de Boston, disse: "Os participantes que dormiam mais de 9 horas por noite tinham seis vezes mais o risco de desenvolver demência em 10 anos em comparação com participantes que dormiram menos. Estes resultados sugerem que ser altamente educado pode proteger contra a demência na presença de uma longa duração de sono", concluiu. Esta pesquisa estudou quase 2.500 adultos com idade média de 72 anos por um período de 10 anos. A preocupação que levou a este estudo é que cerca de 850 mil britânicos sofrem de demência e, embora não haja tratamento efetivo, os medicamentos atuais podem ajudar a diminuir os sintomas. Os especialistas disseram que mudar os padrões de sono poderia ajudar a prever o início precoce da doença. O que é demência e como isso afeta o cérebro? Em entrevista o jornal britânico “The Sun”, Dr. Rosa Sancho, chefe de pesquisa da Alzheimer Research UK, disse: "Embora os padrões de sono incomum sejam comuns para as pessoas com demência, este estudo contribuiu sugerindo que as mudanças no sono podem ser evidentes muito antes de sintomas como a perda de memória aparecer”. Leia também: Pistas sobre a memória musical de portadores de Alzheimer Compreender mais sobre como o sono é afetado pela demência poderia um dia ajudar os médicos a identificar aqueles em risco de desenvolver a condição, muito antes de ser desenvolvida. A demência é uma condição séria que afeta muitas pessoas, cujo impacto aumentará ainda mais com o envelhecimento da população que enfrentam sociedades como o Japão e as de muitos países europeus. É importante adquirir esse conhecimento sobre mudanças nos hábitos de sono relacionados à demência senil, pois eles também podem nos dar uma pista sobre nossos parentes mais velhos. Mesmo que não haja cura, os medicamentos podem impedir que o processo aconteça tão rapidamente. Fonte: The Sun.

13 maneiras práticas de se sentir mais feliz hoje

13 maneiras práticas de se sentir mais feliz hoje

Vivemos em busca da felicidade. No entanto, a maioria das pessoas não se classifica como plenamente feliz. Por que será que isso acontece? Onde será que a felicidade está afinal? Para ajudá-lo a encontrar o verdadeiro sentido da palavra felicidade, separamos aqui algumas dicas certeiras para aumentar sua sensação de plenitude hoje. Confira 13 dicas para se sentir mais feliz a cada dia 1 – Aceite a tristeza quando ela vier – Ninguém pode experimentar a felicidade 24 horas por dia. Sempre haverá eventos que te deixarão triste. Aceite a tristeza para aprender a apreciar os momentos de felicidade. 2 – Ajude as pessoas – Lembre-se que a felicidade nem sempre vem daquilo que você possui apenas para si. Às vezes, a maior satisfação vem ao ajudar o próximo. Compartilhar e ajudar são atitudes que trazem muita felicidade. 3 – Viva no presente – Lamentar o passado é a principal causa da depressão, preocupar-se com o futuro é a principal causa da ansiedade. Viva o momento presente. 4 – Pratique o desapego – Buda disse que a causa de toda dor é o apego. Quando você está excessivamente ligado a algo, você sente dor quando essa coisa se vai. Isso não se aplica apenas a outros seres humanos ou animais de estimação, mas principalmente aos bens materiais. 5 – Exercite-se – Existem pesquisas suficientes que comprovam que os exercícios físicos trazem felicidade. Pratique uma atividade física regular e sinta os benefícios no corpo e na mente. 6 – Pratique a meditação – Exercícios para a mente também são fundamentais para a felicidade e o equilíbrio. Meditar ajuda a reduzir a ansiedade excessiva e evita a depressão. Melhorar o seu estado mental ajudará a melhorar o seu bem-estar a longo prazo. 7 – Durma bem – Não sacrifique o seu sono. Dormir e descansar são atitudes que trazem mais felicidade e saúde. 8 – Esteja cercado de pessoas positivas – As atitudes são contagiosas. Por isso, esteja sempre cercado por pessoas positivas e otimistas. 9 – Aposte na diversão – A felicidade vem quando estamos com pessoas felizes e cheias de energia. Divirta-se com os amigos sempre que possível. 10 – Pare de se importar com o que os outros pensam – Uma das maiores razões pelas quais as pessoas estão infelizes com suas vidas é que elas são forçadas a viver rotinas que não querem viver. Elas temem a opinião dos outros. Deixe isso de lado. Pare de se importar com o que os outros pensam ou acham correto. A vida é curta. Leia também: 10 segredos para ter uma vida plena 11 – Passe mais tempo com pessoas próximas a você – Valorize o relacionamento com sua família e seus amigos próximos. Não coloque o sucesso da sua carreira acima dos relacionamentos. O dinheiro não o deixará mais feliz. 12 – Seja grato pelo que você tem – Nós temos a mania de só apreciarmos o que temos quando perdemos. Dê valor àquilo que você tem hoje. Seja grato sempre! 13 – Não guarde rancor – Se você quer ser uma pessoa feliz, não pode acumular rancores. O perdão é importante para o seu próprio bem-estar. Não se obsesse em tramar vinganças ou desejar o mal para os outros. Liberte-se da negatividade.